Federação

HISTÓRIA

IMG_5632_EDI_910

Momento atual
A Federação Catarinense de Futebol ingressa em 2017 classificada como a 5ª colocada no Ranking Nacional de Federações da Confederação Brasileira de Futebol (RNF/CBF), somando 35.720 pontos. Desde o dia 6 de dezembro de 2016, a Entidade tem à frente no cargo de Presidente o Sr. Rubens Renato Angelotti. A Federação Catarinense de Futebol conta com uma equipe de 30 pessoas, entre funcionários, diretores e colaboradores, que atuam distribuídos em oito departamentos dedicando seu empenho e profissionalismo ao futebol de Santa Catarina.

Após a maior tragédia do esporte mundial, que vitimou o ex-Presidente Dr. Delfim Pádua Peixoto Filho e grande parte da delegação da Associação Chapecoense de Futebol, além de membros da imprensa na madrugada do dia 28 de novembro de 2016, o empresário Rubens Renato Angelotti foi empossado Presidente respeitando o Estatuto Social da Entidade, como primeiro sucessor da Diretoria aclamada em 9 de junho de 2014 para o quadriênio 2015-2019.

Atualmente o calendário de eventos da Federação Catarinense de Futebol prevê a realização de seis (06) competições profissionais e oito(08) competições não-profissionais. São vinte e seis (26) clubes filiados e trinta e sete (37) Ligas Não-Profissionais existentes no Estado.

A maior tragédia do esporte de todos os tempos com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol comoveu a sociedade mundial, gerando homenagens e honrarias em todos os segmentos. Futebolisticamente, os caminhos dolorosos da final nunca disputada da Copa Sul Americana 2016 e das perdas irreparáveis, culminaram com a consagração da equipe que foi em busca do maior título sua história e da história do futebol de Santa Catarina.

No dia 21 de dezembro de 2016, na sede da CONMEBOL, em Luque, no Paraguai, a Associação Chapecoense de Futebol foi homologada pela Confederação Sul-Americana campeã da segunda competição interclubes mais importante do continente. Na ocasião, o Presidente da Chapecoense, Sr. Plínio David de Nês Filho, recebeu a Taça da Copa Sul Americana 2016, o título mais expressivo da história do futebol catarinense!

Em 2017 o futebol catarinense terá representantes nas quatro Séries do Campeonato Brasileiro A, B, C e D. Na elite do futebol nacional permanece a Associação Chapecoense de Futebol, que segue passo a passo, jogo a jogo, superando as dificuldades dentro e fora do campo do acidente na Colômbia. Ao lado da Chapecoense está o Avaí Futebol Clube, que protagonizou uma recuperação histórica no segundo semestre de 2016  conquistando o vice-campeonato do Brasileiro da Série B e o consequente acesso à elite para 2017.

No Campeonato Brasileiro da Série B 2017 estão duas potências do futebol catarinense, que conduziram a propulsão do Estado no início da década de 2000 no cenário nacional, o Figueirense Futebol Clube e o Criciúma Esporte Clube.

O futebol catarinense volta a ter um representante no Campeonato Brasileiro da Série C após quatro anos. Desde 2012, quando a Associação Chapecoense de Futebol disputou a competição, o Estado não contava com representantes na terceira divisão do futebol nacional. Infelizmente, a participação não advém da ascensão de um dos clubes da Série D, mas do revés do Joinville Esporte Clube, que descendeu à Série C para 2017.

No Campeonato Brasileiro da Série D, pelo segundo ano consecutivo, a Federação Catarinense de Futebol terá três representantes na disputa, o Esporte Clube Internacional, de Lages, o Clube Atlético Metropolitano, de Blumenau e o Brusque Futebol Clube.

O Estado conta com onze (11) clubes dispostos entre os 234 do Ranking Nacional e Clubes 2017:
16º – Figueirense FC………. 9.002 pontos
19º – Ass. Chapecoense…… 7596 pontos
24º – Avaí FC………………… 5.894 pontos
25º – Criciúma EC…………. 5.788 pontos
28º – Joinville EC………….. 5.409 pontos
80º – CA Metropolitano…. 833 pontos
97º – EC Internacional…… 629 pontos
148º – Brusque FC………… 255 pontos
182º – Guarani LTDA……. 153 pontos
192º – CN Marcílio Dias… 110 pontos
211º – Concórdia AC……… 51 pontos

História recente
A Federação Catarinense de Futebol celebrou em 2016 a condição mais esplendorosa da Instituição no cenário do futebol brasileiro. A participação intensa dos clubes catarinenses nas competições nacionais em 2015 conduziu a Entidade à melhor colocação da história no Ranking Nacional de Federações – (RNF/CBF), a 4ª posição com 35.513 pontos!

O auge do futebol catarinense no cenário nacional foi galgado  no ano de 2015, quando quatro clubes do Estado participaram do Campeonato Brasileiro da Série A: Figueirense FC, Associação Chapecoense de Futebol, Joinville EC e Avaí FC. Foram cinco clubes entre os 40 principais do País, além dos quatro clubes na elite do futebol brasileiro, o Criciúma EC disputou o Campeonato Brasileiro da Série B.

Desde 2016, também fruto do avanço no Ranking Nacional de Federações – (RNF/CBF), a Federação Catarinense de Futebol conta ainda com três clubes representando o Estado no Campeonato Brasileiro da Série D, Clube Atlético Metropolitano, Esporte Clube Internacional e Brusque Futebol Clube.

História
Fundada em 12 de abril de 1924 com o nome de Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres, a história da regulamentação do futebol em Santa Catarina começou na Rua Esteves Júnior, no Centro da Capital, no Gymnasio Catharinense, atual Colégio Catarinense, berço da educação e da prática desportiva, onde se reuniram os representantes dos clubes Atlético Florianópolis, Figueirense, Internato, Trabalhista e Avahy, para registrar a ata de fundação da atual, Federação Catarinense de Futebol.

No princípio, a entidade organizava campeonatos das modalidades de atletismo, tiro ao alvo e também de futebol. O primeiro presidente da então Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres foi Luiz Alves de Souza (1924-1927). Mais tarde, já em 1927, a Entidade teve seu nome modificado para Federação Catarinense de Desportos.

Com a consolidação do futebol como o esporte das multidões e a com evolução das demais modalidades de práticas esportivas e a consequente criação de entidades regulamentadoras específicas para cada uma, em 1951 a Federação Catarinense de Desportos tornou-se a Federação Catarinense de Futebol.

A história do futebol de Santa Catarina traz consigo grandes momentos protagonizados por tradicionais clubes e clássicos municipais que foram surgindo nos maiores centros do Estado. Estes jogos entre equipes da mesma cidade se tornaram grandes clássicos, que ganharam reconhecimento e fama ao longo dos tempos pelo ótimo nível das equipes.

No Norte, em Joinville, América X Caxias, no Vale do Itajaí em Blumenau, Olímpico X Palmeiras, em Itajaí, Barroso X Marcílio Dias, em Brusque, Paysandu X Carlos Renaux. Seguindo para o Sul, em Criciúma, com Próspera, Metropol e Comerciário. No litoral Sul, em Tubarão, Ferroviário X Hercílio Luz, no Planalto Serrano, nas cores do Internacional, de Lages.

O momento histórico que celebra a tradição do futebol catarinense é ilustrado ainda em grande nível no futebol barriga-verde. O clássico que se consagrou como o mais tradicional ao longo da história, Avaí X Figueirense ou Figueirense X Avaí, segue escrevendo capítulos repletos de emoção nos triunfos, empates e reveses dos dias atuais.

Com o passar dos anos e a evolução para o profissionalismo, muitas equipes pioneiras no futebol catarinense ficaram para trás, mas também surgiram imensas alegrias com o aparecimento de clubes que representam uma realidade de conquistas para os torcedores catarinenses como: Criciúma (1978), Joinville (1976) e Chapecoense (1973).
A ascensão destas três agremiações e o fortalecimento da dupla da Capital conduzem o desempenho honroso do futebol catarinense no cenário nacional no século XXI.

Títulos nacionais
Ao longo dos 93 anos da Federação Catarinense de Futebol, os clubes catarinenses conquistaram seis títulos nacionais. Nas cores do Criciúma Esporte Clube atingimos o título mais expressivo, a Copa do Brasil de 1991. O gol de Vilmar aos 15 minutos do 1º tempo no empate em 1 a 1, no Estádio Olímpico em Porto Alegre, representou o gol do título para o Tigre, referendado no empate sem gols no Estádio Heriberto Hülse, na noite histórica do dia 02 de junho de 1991.

Foto: Arquivo Criciúma Esporte Clube.

O Criciúma Esporte Clube foi ainda protagonista de outros dois importantes títulos nacionais para o futebol de Santa Catarina, o Campeonato Brasileiro da Série B de 2002 e o Campeonato Brasileiro da Série C em 2006. Em 2002, a campanha de 16 vitórias, 3 empates e 6 derrotas foi encerrada na tarde chuvosa do dia 7 dezembro com a goleada de 4 a 1 sobre o Fortaleza no Estádio Heriberto Hülse. Dia especial para o ídolo Paulo Baier que anotou três gols.

Em 2006 o Criciúma se recuperou do descenso no ano anterior com o título do Campeonato Brasileiro da Série C. A campanha de 32 jogos teve 19 vitórias, 7 empates e 6 derrotas.

O Joinville Esporte Clube seguiu os rumos do Criciúma e também conquistou o Campeonato Brasileiro das Séries C e B. Em 2011 o JEC sobrou no quadrangular da 2ª fase, foram 5 vitórias e um empate, além  classificação à final. Nas finais duas vitórias sobre o Clube de Regatas Brasil, 3 a 1 em Alagoas e 4 a 0 na Arena.

Formação do Joinville Esporte Clube campeão da Série B do Campeonato Brasileiro 2014.

O maior título da história do Joinville EC foi conquistado em 2014, já na moderna e difícil forma de pontos corridos, em turno e returno. A consagração do título referendou a campanha de 21 vitórias, 7 empates e 10 derrotas.

O primeiro título de Campeonato Brasileiro conquistado por um clube catarinense teve marca da tradição do futebol da Capital do Estado. Em 1998 o Avaí Futebol Clube sagrou-se campeão brasileiro da Série C. A competição teve 66 times na disputa. O quadrangular final, o Ava[í somou 9 pontos, com 2 vitórias, 3 empates e apenas 1 derrota.


A “Era Delfim”
O futebol catarinense encontrou o caminho de todos os títulos nacionais na administração do Dr. Delfim Pádua Peixoto Filho, que iniciou no ano de 1985 e encerrou em novembro de 2016 com o acidente na Colômbia. Ao longo dos 93 anos, a Federação Catarinense de Futebol teve dezessete (17) presidentes. Em abril de 2015 iniciou o sétimo mandato do Dr. Delfim Pádua Peixoto Filho como Presidente da Entidade, que será completado em abril de 2019 pelo atual Presidente Rubens Renato Angelotti.

O advogado, político, professor e desportista  itajaiense Delfim Pádua Peixoto Filho esteve à frente das ação administrativas da Federação Catarinense de Futebol por 31 anos. Além da evolução galopante da Federação Catarinense de Futebol no cenário nacional, a sede própria da Entidade, construída em 2007 no município de Balneário Camboriú, representa o maior feito e legado da “Era Delfim” para o futebol de Santa Catarina.

 Todos os Presidentes:

2017 a 2019 – Rubens Renato Angelotti
1985 a 2016 – Delfim Pádua Peixoto Filho
1983 a 1985 – Pedro José de Oliveira Lopes
1970 a 1983 – José Elias Giuliari
1969 a 1970 – Manoel Carlos de Souza
1952 a 1969 – Osni Mello
1949 a 1951 – Flávio Ferrari
1948 – Paulo Weber Vieira da Rosa
1947 a 1948 – Álvaro Pereira do Cabo
1939 a 1946 – Aderbal Ramos da Silva
1938 – Flodoaldo Nobrega
1936 a 1938 – João Alcântara da Cunha
1934 a 1935 – Nelson Nunes
1931 a 1933 – Pedro E. Silva Medeiros
1930 – Coronel Pedro Lopes Vieira
1928 a 1929 – Otávio de Oliveira
1924 a 1927 – Luiz Alves de Souza

Todos os endereços
Desde quando foi fundada nas dependências do Centenário Colégio Catarinense, em 1924, a antiga Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres, esteve situada em 14 sedes. Os 12 primeiros endereços foram na Capital do Estado, os dois últimos e o definitivo, serão em Balneário Camboriú. Até dezembro de 2007, a sede da atual Federação Catarinense de Futebol, estará definitivamente localizada na 6ª Avenida, ao lado do Parque Ecológico, no Bairro dos Municípios, em Balneário Camboriú.

Quatro fatos envolvendo a questão da sede própria da Federação Catarinense de Futebol estão registrados nas legislações Estadual e Municipal. Em 27 de setembro de 1972, o Governador do Estado, Colombo Machado Sales, autorizou o Poder Executivo a alienar o Estádio Adolfo Konder em favor do Avaí Futebol Clube, como retrata o texto original da Lei Estadual nº4.781, de setembro de 1972. Após a decisão, a FCF ficou por mais 5 anos sediada no Estádio Adolfo Konder, e em 1977, a Entidade retornou a Rua Felipe Schmidt, no Centro de Florianópolis.

Até maio de 1996 a Federação Catarinense de Futebol esteve na Capital, quando situada a Rua São Jorge, no Centro. E aos dez anos da administração do Presidente Delfim Pádua Peixoto Filho, o então Prefeito Municipal de Balneário Camboriú, Luiz Eduardo Cherem, sancionou a Lei Municipal nº1578 de 13 de maio de 1996, cedendo a Federação Catarinense de Futebol uma área de 4.303 m2, na Rua Libéria, aos fundos do Estádio Municipal, no Bairro das Nações, em Balneário Camboriú, pelo período de 99 anos, sendo prorrogável por mais 99, se assim o Poder Executivo determinar, para que a Entidade construísse sua sede própria.

Antes da Federação Catarinense de Futebol viabilizar a construção, em 22 de novembro de 1999, a Prefeitura necessitou ampliar a Fundação Municipal de Esportes e utilizou a área anexa ao Estádio Municipal. Sendo assim, o então Prefeito Municipal de Balneário Camboriú, Leonel Arcângelo Pavan, revogou a Lei 1578 de 13 maio de 1999, porém autorizou a indicação de uma nova área à construção da sede da Federação Catarinense de Futebol. Honrando o compromisso do Poder Executivo de Balneário Camboriú com o futebol catarinense, em 17 de dezembro de 2003, o Prefeito Municipal, Rubens Spernau, através da Lei Municipal nº 2304, indicou um novo terreno à construção da sede própria da Federação Catarinense de Futebol.

Setenta e nove anos após ser fundada, a antiga Liga Santa Catharina de Desportos Terrestres, no terceiro milênio, denominada Federação Catarinense de Futebol, tinha o local para construir sua sede própria. Desde 1996 no Litoral Norte do Estado, a FCF esteve localizada até 2002 na Avenida do Estado, nº 1780. Até 2007 esteve situada na Rua 2350, nº 560, Edifício Tute I, no Centro de Balneário Camboriú. Já no exercício de 2007 a Federação Catarinense de Futebol encontra-se definitivamente na sua belíssima sede própria, na 6ª Avenida, ao lado do Parque Ecológico, no Bairro dos Municípios.

1924 / 1927 – Colégio Catarinense – Rua Esteves Júnior – Centro – Florianópolis
1927 / 1928 – C.R. Aldo Luz – Rua João Pinto – Centro – Florianópolis
1828 / 1937 – Sociedade Beneficente Liga Operário – Rua Tiradentes – Centro – Florianópolis
1937 / 1941 – Rua Trajano – Centro – Florianópolis
1941 / 1944 – Rua Felipe Schmidt, nº34 – Centro – Florianópolis
1944 / 1954 – C.R. Aldo Luz – Rua João Pinto – Centro – Florianópolis
1955 / 1962 – Rua Tiradentes, nº 4 – Centro – Florianópolis
1962 / 1977 – Rua Bocaiúva – Estádio Aldopho Konder – Centro – Florianópolis
1977 / 1984 – Rua Felipe Schmidt, nº390, Ed. Comasa – Centro – Florianópolis
1984 / 1987 – Rua Vidal Ramos, nº 110 – Centro – Florianópolis
1987 / 1989 – Rua Ademar Grijó – Bairro Coqueiros – Florianópolis
1989 / 1995 – Rua Armando Valério de Assis , nº 89 – Morro do Antão – Florianópolis
1995 / 1996 – Rua São Jorge, nº 147 – Centro – Florianópolis
1996 / 2002 – Avenida do Estado, nº 1780 – Centro – Balneário Camboriú
2002 / 2007 – Rua nº 2350, nº 560 – Centro – Balneário Camboriú
2007 – Sexta Avenida – Bairro dos Municípios – Balneário Camboriú

 

 

ADMINISTRAÇÃO

Presidência

 

Rubens Renato Angelotti – Presidente

Jamily Schmitt de Lima – Secretária

Superintendência


 

Lédio D´Altoé – Superintendente

 

 

Procuradoria Jurídica


 

Rodrigo Goeldner Capella – Procurador Jurídico

Departamento de Competições

 

Fábio Marcel Nogueira – Gerente (foto)
José Carlos Goulart Júnior – Assessor
Luis Fellipe Heusi da Silva Peixoto – Assessor

 

Departamento Financeiro


Sabrina M. Borges – Gerente (foto)
Aline Battisti Archer – Assessora

 

 

Diretor de Relações Institucionais


Carlos Fernando Crispim – Diretor (foto)

 

 

Departamento de Registro e Transferências

 

Cláudia Teixeira – Gerente (foto)
Natielli Fernanda Vanolli Vicente – Assessora
Sálvio João Ditzel Junior – Assessor
Grazielle N. V. Junglos – Assessora

Departamento de Arbitragem

 

Marco Antônio Martins – Diretor (foto)
Clarissa Martins Wilke – Secretária

 

Cantucho João Setubal – Ouvidor de Arbitragem (foto)

 

Marketing


Alexandre Monteiro – Assessor de Marketing

Assessoria de Imprensa


Marcelo de Negreiros – Assessor de Imprensa

Assessoria Administrativa/ Compras


Roger Mori Borges

Conselho Fiscal – Efetivos

Renato Heusi de Almeida
Sérgio Carriço de Oliveira
Carlos Fernando Crispim

Conselho Fiscal – Suplentes

Nádia Schramm Câmara Bastos
Rodrigo Vieira Galloti Nunes

LOCALIZAÇÃO

Localização

Endereço: 6ª Avenida, ao lado do Parque Ecológico, Bairro dos Municípios.
Balnério Camboriú/SC. CEP: 88337-315

Expediente: De 2ª à 6ª feira – Das 14:00 às 19:00 horas
Fone: 55 47 3263 9800 / Fax: 55 47 3263 9823

Exibir mapa ampliado

Clubes filiados

Sites Oficiais

Patrocínios